quinta-feira, 18 de setembro de 2008

Um pó mágico!!!!!


Estava um dia desses revirando um antigo baú, no qual guardo minhas histórias, recordações, lembranças. Algumas dessas alegres outras tristes, mas a vida é assim cheia de altos e baixos e às vezes aprendemos mais com os baixos do que com os altos. É somos assim um pouco complexos somos seres cheios de defeitos e qualidades.

Ao revirar o baú deparei-me com todo um ciclo que me vez crescer e amadurecer. Arrependi-me de algumas coisas que fiz ou falei, no entanto o que posso fazer? Muitas pessoas falam que o passado volta para te assombrar, contudo creio que ele volta para me ensinar.

Quando pensei que tinha acabado de ver tudo encontrei um cartão de uma livraria, o mais engraçado que eu não me lembrava de tê-lo. Fechei o baú e com ele deixei guardadas novas memórias e fui ao encontro desta livraria da qual não me recordava.

Chegando lá me deparei com um lugar abandonado, sua fachada era fosca quase não dava para ler o letreiro, seus vidros embasados não permitia quem estava do lado de fora enxergar o que havia lá dentro. Tomei coragem e entrei, logo de cara encontrei um senhor ao fundo remexendo alguns volumes, ele se assustou com a minha presença, entretanto foi se aproximando com passos curtos e me encarou com um olhar fixo e penetrante.

O senhor ofereceu-me uma xícara de café e pediu para que eu sentasse, sem ao menos saber meu nome disse que me esperava há algum tempo. Esperava com que eu abrisse o baú e reparasse naquele pequeno cartão. Fique surpresa, como aquele senhor saiba do baú? Como ele sabia quem eu era?

Ele pediu para que eu olhasse ao redor, o fiz e ele perguntou-me seu lembrava-me daquelas estantes, daqueles livros, daquele local. Esforcei-me, no entanto foi em vão nada vinha a minha memória. Então ele falou que me deixaria um pouco sozinha para ver se eu recordava daquele local, que estava entregue as traças.

Andei por entre os corredores longos e muitas das vezes sombrios, reparei na extensa camada de poeira que ali se encontrava e foi no momento que toquei naquela poeira que aquele local me sugou, parecia que tinha me levado para outra dimensão.

Naquela poeira encontrava a história daquele local, tudo o que tinha acontecido e todos que passaram por ali invadiram a minha mente, aquele local que se encontrava abandonado um dia reuniu multidões levando várias pessoas há mais belas viagens. Foi nesta viagem pelo passado daquela livraria que me deparei com uma menininha, aproximando senti algo dentro de mim, encontrei-me no meio daqueles livros perdida com tantas histórias ali fui princesa, fada, guerreira, fui tudo o que a minha imaginação permitia.

Acordei daquela viagem com o senhor me chamando. Ele me chamou para entregar algo estava em um embrulho bonito, bem feito. Pediu para que eu abrisse naquele instante era um livro, então ele falou que quando eu estivesse verdadeiramente preparada era para eu abri-lo.

Voltei para casa com uma sensação de ter preenchido algo que me faltava. No dia seguinte resolvi voltar à livraria para conversar mais com aquele senhor, no entanto quando cheguei à ruazinha que ela se encontrava não a vi e no seu lugar se encontrava uma loja de ferramentas, entrei e perguntei da velha livraria desta vez uma menina me atendeu e falou que ali nunca havia existido uma livraria, que aquela loja estava na sua família há anos.

Quando cheguei em casa, tomei um banho e cheguei a conclusão de aquilo que vivi no dia anterior tinha sido um sonho. Contudo o livro ainda estava lá, esperando para ser lido.



Pense nisso!!!!!!!!

2 comentários:

Gi disse...

"O livro ainda está lá, esperando para ser lido."

O livro sempre estará lá, esperando, paciente como o a Lua, que não se importa em dar o ar da graça somente à noite. Não importa quando o leremos, o que importa é o que esse livro vai nos revelar, seus ensinamentos estarão para sempre impregnagos em suas páginas...

www.xilena disse...

ta legal por aqui,
qualquer dia desses eu
venho de novo!
[tuca]